Financiamento de apartamento – melhores opções para momentos de crise

Publicidade - OTZAds

O financiamento de apartamento é uma opção de crédito imobiliário oferecido por vários bancos no Brasil, que por sua vez, tem diferentes taxas de juros de acordo com o valor do imóvel que o cliente deseja obter.

Falar em financiamento de apartamento é também falar sobre sonhos, não é verdade? Ter uma casa própria, continua sendo um dos objetivos principais de todo bom brasileiro que paga seus impostos em dia. Mas como fazer isso tempos difíceis? Porque devo fazer?

Quando falamos em tempos difíceis estamos falando em período de crise econômica, talvez você argumente contra e diga: “ah, mas o mundo sempre vive em crise”, de fato, não é mentira, o mundo passa por crises econômicas já tem um tempo, porém, o atual momento não é somente crise rotineira: é SURTO GLOBAL DE PANDEMIA.

Publicidade - OTZAds

Desde já, nós pedimos desculpas pelas letras garrafais, colocamos propositalmente, apenas para alertar você de que é um problema grave que o mundo está sendo obrigado a enfrentar.

Financiamento de apartamento - melhores opções para momentos de crise

Entretanto, por outro lado,  as empresas não podem parar completamente. Muitas companhias estão adotando trabalho home office para continuar atendendo seus clientes. Portanto,  é é por isso que hoje nós iremos falar sobre possibilidades de financiamento de apartamento, mesmo em momento de crise como este.

Taxas de juros de financiamento de apartamento.

Reunimos abaixo um comparativo completo sobre as principais taxas de financiamento de apartamento dos principais bancos bancos do Brasil. Entre os bancos com maior facilidade para financiamento, e, por conseguinte as melhores taxas estão a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil.

É claro, que exitem outros bancos com taxas e outros procedimentos tão interessantes, quanto estes. Veja a seguir um comparativo das principais taxas para um financiamento de apartamento em 2020.

Publicidade - OTZAds

Enfim, sem mais enrolação não é mesmo?

Banco Sistema Financeiro Habitacional (SFH) Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) – carta de crédito pró-cotista FGTS limite do financiamento
Caixa (modalidades tradicionais) a partir de 6,5% ao ano + TR a partir de 6,5% ao ano + TR entre 8,76% e 9,01% ao ano + TR até 80% do valor para imóveis novos e 70% do valor para usados
Caixa (linha nova, atualizada pela inflação) a partir de 2,95% + IPCA a partir de 2,95% + IPCA não opera até 80% do valor o imóvel
Banco do Brasil a partir de 7,4% ao ano + TR a partir de 7,4% ao ano + TR (na carteira habitacional hipotecária) 9% ao ano + TR (disponível para imóveis novos e usados) até 80% do valor do imóvel novo ou usado
Banco do Brasil (linha nova, atualizada pela inflação) a partir de 3,45% + IPCA a partir de 3,45% + IPCA não opera até 70% do valor o imóvel (para clientes private e estilo)
Itaú Unibanco a partir de 7,45% ao ano + TR a partir de 7,45% ao ano + TR não opera até 82% do valor do imóvel (tanto para novos como usados)
Bradesco a partir de 7,30% ao ano + TR a partir de 7,30% ao ano + TR (na carteira habitacional hipotecária) não opera até 80% do valor do imóvel novo ou usado
Santander Juros a partir de 7,99% ao ano + TR a partir de 7,99% ao ano + TR Taxas a partir de 7,59% +TR (apenas para imóveis novos) Até 80% do valor do imóvel (tanto para novos como usados)

No entanto, precisamos dizer aqui O panorama comparativo acima foi feito pelo portal de notícias G1, em um editorial especial sobre taxas de juros sobre financiamento de apartamento, se você quiser conferir o artigo completo, clique aqui.

Outro detalhe muito importante, que precisa ser destacado aqui é que as taxas de juros para o financiamento imobiliário, pelos bancos são as mínimas, e que, para conseguir juros mais baixos, o tomador do crédito precisa quase sempre aceitar uma série de condições, sobretudo maior relacionamento com a instituição financeira.

Contudo, é válido dizer que o nível e o tempo de relacionamento com o banco, valor do imóvel, bem como o perfil e renda do consumidor também costumam influenciar diretamente os juros cobrados pelos bancos.

Mas afinal, como está o cenário atual de financiamento imobiliário?

De maneira geral, nós podemos dizer que uma família com renda mensal de R$ 5 mil reais já se possui renda mínima para financiar um imóvel de no mínimo R$ 150 mil a R$ 220 mil, dependo claro da instituição financeira, a depender do banco, pagando uma entrada de até R$ 66 mil. É possível ainda fazer a distinção do sistema financeiro a ser usado.

Mas vamos lá, para algumas informações importantes para 2020, é válido dizer aqui que a redução das taxas de juros e a diminuição das exigências dos bancos, entre eles a Caixa Econômica Federal, fez com que o poder de compra dos brasileiros em relação à compra de imóvel aumentasse.

Financiamento de aparamento, bancos públicos

Muitos não sabem por exemplo, que a Caixa Econômica Federal, por exemplo, é responsável por mais de 65% dos financiamentos de imóveis no país.

Mas outro detalhe super válido a se dizer é que o banco financia entre 50% e 90% do valor do imóvel, a depender de uma série de fatores, inclusive, se você é funcionário público ou da rede privada.

Publicidade - OTZAds

Todavia, para que o financiamento seja possível, é crucial que o imóvel que você quer comprar esteja enquadrado no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), em uma faixa de preço de até R$ 750 mil, no entanto por outro lado, precisamo fazer algumas observações, pois é importante.

Além disso, para adquirir um imóvel seguindo as regras do SFH, você não pode ter outro imóvel em seu nome. Agora, uma outra opção de financiamento é através do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), em que não há limitações para valores do imóvel e você pode ter outra propriedade em seu nome.

Considerações importantes sobre o financiamento de apartamento

Atualmente com  SFI, é possível financiar de 40% a 60% do valor para trabalhadores privados e de 50 a 70% para funcionários públicos. Porém, vale lembrar que através do SFI não é possível usar o FGTS para a entrada ou pagamento de parcelas, enquanto através do SFH isso é possível.

Mas qual é a renda mínima para financiar um imóvel?

Conforme as regras do financiamento de apartamento renda mínima para financiar um imóvel e o valor do mesmo estão relacionados.

Publicidade - OTZAds

O financiamento  de aparamento é aprovado por qualquer instituição financeira seguindo a “regra dos 30%”, ou seja, o valor da parcela a ser paga mensalmente não pode ultrapassar o valor máximo de 30% da renda familiar, porque afinal, cada banco tem sua regra.

Portanto, podemos dizer que esta condição restringe a faixa de preço de imóveis que se enquadram, entretanto, é uma forma das instituições financeiras se protegerem contra a inadimplência dos seus clientes.

Que fique claro, aqui não é tão importante que a sua renda é avaliada na hora do financiamento. Se outras pessoas da família também trabalham, como a sua esposa ou filhos, é possível compor a renda contabilizando os salários de todos os moradores da casa.

Mas você ainda tem dúvidas? Provavelmente sim, não é mesmo?

Telefones para entrar em contato sobre financiamentos

Portanto, deixaremos a seguir o contato de uma das principais financiadoras do país, que é Porto Seguro, que tem parceria direta com o Banco Itaú.
Central de Relacionamento 4004 3600 (capitais e regiões metropolitanas) 0800 727 7477 (demais localidades) +55 (11) 3366 3126 (Central de Relacionamento no Exterior) SAC … Quem pode receber o crédito nos financiamentos de auto?
Enfim, gostou? Então deixe o seu contato! E compartilhe com seus amigos, porque é muito importante!

 

Ipatinga Receberá Hospital De Campanha Para Pacientes Com Covid-19

balança comercial

Superávit da balança comercial caiu 43% e chega a US$ 6,44 Bi no ano 06-04-2020